Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Futebol / acusações de manipulação

Advogado de John Textor consegue suspensão de investigação do STJD

Inicialmente, o órgão havia indiciado o empresário por não colaborar e por não apresentar o material solicitado

Redação Publicado em 09/07/2024, às 23h38

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
John Textor depõe em CPI das apostas esportivas - Roque de Sá/Agência Senado
John Textor depõe em CPI das apostas esportivas - Roque de Sá/Agência Senado

O julgamento de John Textor foi temporariamente suspenso pela defesa, impedindo sua realização que estava agendada para esta quarta-feira na sede do STJD, no Rio de Janeiro. O caso envolve a posse de áudios nos quais o dono da SAF Botafogo alega ter gravado "juízes reclamando de não receberem propinas", inicialmente denunciado por falta de apresentação de provas.

Inicialmente, o STJD havia indiciado o empresário por não colaborar e por não apresentar o material solicitado. Contudo, Textor entregou os áudios em maio, seguindo uma determinação judicial. O novo julgamento estava previsto para hoje, mas a defesa argumentou que houve precipitação na conclusão dos inquéritos, violando o direito à ampla defesa. O Tribunal concordou com a solicitação da defesa, adiando o julgamento para depois de 15 de agosto, quando Textor terá uma reunião com o CBMA (Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem).

Segundo documento do STJD, "seria temerário condenar definitivamente o requerente por não apresentação de provas antes de 15/08/2024, data na qual o procedimento em curso no CBMA poderá fornecer subsídios para um julgamento adequado, seja para aumentar a pena imposta, seja para absolvê-lo."

A suspensão é vista como uma vitória pela defesa de Textor, que ganhou tempo para estruturar sua estratégia. A reunião com o CBMA é considerada uma oportunidade para um novo julgamento em condições mais equilibradas. Textor reiterou que não se sentia obrigado a compartilhar provas adicionais com o STJD, uma vez que estas já estão sob posse do Ministério Público.

É importante ressaltar que este caso não está relacionado às declarações de Textor acusando o Palmeiras de supostos benefícios nos últimos campeonatos brasileiros. Recentemente, houve um incidente envolvendo o auditor do caso, Mauro Marcelo de Lima e Silva, que inadvertidamente vazou o nome dos jogadores citados ao pedir a suspensão de seis anos para o empresário. A data para o julgamento deste incidente ainda não foi definida.